domingo, 20 de novembro de 2016

Family History Library

Essa postagem é de certa forma uma novidade aqui no amogenealogia porque não aborda um sistema, uma metodologia, uma dica ou um tutorial, o que é em suma a razão de ser desse espaço.

Essas são impressões, informações e dados sobre a "sede" do Family Search:
Family History Library ou simplesmente FHL.

A Biblioteca de História da Família é o sonho de consumo de todo genealogista.




Fundada em 13 de novembro de 1894, a FHL acaba de completar 122 anos, tendo sua origem na Sociedade Genealógica de Utah.

Desde 1938 a FHL se dedica a microfilmar e disponibilizar registros do mundo inteiro e é a maior biblioteca de genealogia do mundo.

Aberta de segunda à sábado (ver horário de funcionamento completo), estima-se que receba até cerca de 1.500 visitantes por dia, disponibilizando 4 milhões de rolos de registros genealógicos microfilmados; 727.000 microfichas; 356.000 livros e outros formatos; Mais de 4.500 periódicos e 3.725 recursos eletrônicos.




 Pessoas do mundo todo planejam visitas ao local, situado no centro de Salt Lake City, capital do estado desértico de Utah, nos Estados Unidos, longe das rotas turísticas convencionais.

Não é incomum ver planejamentos e dicas de viagens assim em fóruns internacionais especializados em genealogia e o site do Family Search tem até uma página com dicas para quem estiver planejando fazer a viagem até o local.

 Com cerca de 100 funcionários e um grande número de voluntários treinados, a Biblioteca atende de forma gratuita aos interessados em pesquisar sua árvore genealógica e aceita doações de registros, livros e acervos genealógicos. Eles inclusive incentivam gente como eu e você a escrever e doar um livro de genealogia de história familiar. (Vide regras para doações de material.)

 O prédio está localizado bem ao centro da cidade, com recepcionistas logo na entrada que lhe perguntam se é sua primeira vez, de onde você é e como podem lhe ajudar. (Em inglês, é claro... Mas ouvir português não é exatamente uma raridade por lá...)

 A recepção é das melhores, geralmente feita por idosos de cabeça branquinha como os nonos de antigamente.




 A biblioteca tem cinco andares abertos ao público. Três desses estão na parte superior do edifício, enquanto os outros dois estão no subsolo. Cada andar tem uma central de informações, com atendentes, computadores, central de cópias, banheiros e bebedouros. Há máquinas de venda de dispositivos USB, o que realmente é algo muito apropriado.


...

Info: Fotos de divulgação de autoria da autora que deixou a postagem pronta com uma semana de antecedência e simplesmente perdeu o aniversário da FHL mesmo assim. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...